15 de mai de 2011

Open-necked Shirt ou Buttoned-up

Olá fashionistas do mundo.

Se em determinado momento a tendência pede para adicionar mais um botão no blazer e em outra estação temos que tirar, a camisa também sofre do mesmo carma fashion. É a hierarquia das camadas. Blazer, camisa, colete, gravata, cardigã, enfim. Às voltas com as tendências para a moda masculina, o jornalista britânico Mark Walton Cook do London Evening Standard trata do retorno ao british gigolô. Na verdade existe um duelo entre as principais escolas de moda masculina do mundo. O estilo clássico inglês e o clássico coolitaliano.
A diferença climática, o espírito mais apático dos ingleses provavelmente aciona essa tendência com mais obviedade. Quanto aos italianos e, por conseguinte todo o homem que mora em países de clima tropical, isso fica menos claro, afinal o sexy, o corpo, os músculos ainda tem muitos adeptos.  Talvez seja uma tentativa de fugir do esquálido homem minimalista dos anos 90 que teve ressonância na moda masculina dos anos 2000. Se na moda feminina a estética da magreza se viu arranhada por diversas manifestações, a moda masculina ficou fora de foco e quase ninguém comentou.

O estilo gigolô

open-necked shirt (que fica deixa a camisa desabotoada nos primeiros botões, exibindo o colo) ganha forma através de referências que podem vir do imaginário do cinema através do conquistador, o Don Juan, o “Conquistador de Sevilha”, o  Zorro, Rick Martin. John Travolta com seus embalos de sábado à noite influenciou toda uma geração nos anos 70, bem como a cultura de pista. Nos anos 70, temos Saint Laurent, que se deixa influenciar, e veste o “conquistador” desse tempo. Nos anos 80/90, Gianne Versace faz a cena dos excessos. E camisa aberta se tornou tendência. Tom Ford é o maior expoente desse estilo. Quem deseja se arriscar nesse sentido deve tomar Tom Ford como exemplo. Extravagância pode, mas conservando a mesma estirpe do gentleman britânico.
camisa-gola-aberta
Desfile da Bottega Venetta; o modelo David Gandy
Tom-Ford
O estilista Tom Ford, adepto da camisa com gola aberta

O padrão britânico

Entre os ingleses, o clássico sempre prevaleceu mesmo que Mick Jaeger nos anos 60/70 subvertesse essa questão. Contudo, aos olhos do mundo, sempre foi uma cultura dentro de um padrão inerente de elegância. A inspiração para o estilo buttoned-up (ou seja, abotoado até o final) pode vir dos intrépidos teddy boys nos anos 50 – garotos ingleses da classe proletária, que gostavam de rock e tinham um estilo de vestir inspirado na época eduardiana – ou nos “bebop-moods” os anos 60 – jovens que se opunham aos Teddy boys, oriundos de classes trabalhadoras, que usavam roupas mais comportadas e ouviam rhythm and blues.
buttoned-up
Buttoned-up: Burberry e Topman, duas marcas clássicas e britânicas
teddy-boys
Os teddy-boys
Essa mini-tendência vai sobreviver dentro da dualidade que lhe cabe, respeitando o mosaico de estilos, a liberdade, os insiders, e principalmente as ruas das grandes metrópoles com seu laboratório de sinais.
fotos: reprodução / fonte: Homem Moderno.  by: Ramon Campos 

Nenhum comentário:

Postar um comentário